sábado, 4 de maio de 2019

OBEDIÊNCIA


Tema: OBEDIÊNCIA



Objetivo: desenvolver nas crianças a necessidade da Obediência, para que nossa vida seja tranquila e estejamos em paz com todos.

Incentivo inicial: mostrar imagens ou desenhos que envolvam a Obediência.
Exemplos:
·        Sinais de trânsito
·        Ir para a escola
·        Escovar os dentes
·        Arrumar o quarto
·        Dormir quando convidados
·        Não utilizar o celular, ou vídeo game demais
·        Comer alimentos saudáveis
·        Obedecer aos horários
·        Etc.
Outro exemplo de incentivo inicial: colocar embaixo das cadeiras ou espalhadas na mesa as letras do tema e as crianças deverão formar a palavra da aula: OBEDIÊNCIA.

Conteúdo doutrinário:
·        As obediências às Leis de Deus e o acatamento das determinações daqueles que Ele coloca em nosso caminho como orientadores na presente existência (pais, mães, professores, evangelizadores, etc.), são virtudes que todos devemos conquistar;
·        Encontramos no Evangelho significativos exemplos de obediência: O Cristo, obedecendo aos desígnios de Deus, encarnou entre nós; Maria aceita sem contestação Jesus como seu filho amado; José se sacrifica para atender às instruções espirituais que lhe determinam, como defender e amparar o menino Jesus; os magos obedecem à Divina Revelação e buscam o Cristo; os apóstolos buscam acatar os ensinamentos do Mestre, etc.
·        A obediência aos pais, professores, patrões e a todos a quem servimos ou devemos respeito, n~]ao significa fraqueza ou falta de personalidade, mas, coragem, desprendimento e compreensão do que é a vida e de nossas necessidades. (O que acontece a um funcionário de uma empresa que não respeita o chefe, não faz o trabalho que lhe é passado, que não respeita os horários de chegada?)
·        Obedecendo aos pais e responsáveis é confiar neles. (Nossos pais e responsáveis exigem que lhe obedeçamos, porque se não formos disciplinados em nossas atividades, jamais seremos respeitados e sofreremos muito, e isso eles não querem)
·        Quem obedece vive em segurança e inspira confiança; (O que seria do trânsito se ninguém obedecesse as regras impostas? Se os motoristas não obedecessem ao sinal? Com certeza seríamos atropelados e sofreríamos acidentes. A segurança do trânsito implica necessariamente na obediência);
·        Devemos obedecer sempre e, além de executar as ordens recebidas, acrescentar algo de nossa parte, como empenho, boa vontade, sinceridade e abnegação. (No trabalho, principalmente, devemos executar todas as ordens recebidas e demonstrarmos que ficamos felizes em cumpri-las, caso contrário seremos demitidos);
·        Ser obediente é ser resignado, aceitando a vontade de Deus, frente a tudo que não podemos mudar, embora o desejássemos. (Vejamos o caso de uma pessoa que não aceita ser pobre, e ela passa a roubar para ter o que deseja. O que acontece com ela?)
·        A obediência construtiva é antes de tudo o desempenho consciente de nosso dever diante de Deus e dos semelhantes. (Porque se não obedecermos, teremos que resgatar de alguma maneira a desobediência, seja nessa vida ou em outra.)
·        A obediência liberta as consciências, induzindo-nos ao serviço fiel e honesto, onde fomos colocados sem melindres ou desajustes. (Quando temos a consciência tranquila de que cumprimos com todas as nossas obrigações, seremos felizes.)
·        Na vida temos inúmeros exemplos de obediência e do que fazer se não formos obedecidos.
·        “Se aspirar à vitória no objetivo, segue, dia a dia, no trato da obediência.”
o   O que fazer se não conseguirmos modelar a argila? – Jogamos fora
o   O que fazer se as cordas de um instrumento musical não aceitar a afinação – Substituímos
o   O que fazer se uma torneira não para de pingar? -  Trocamos
o   O que fazer se o teclado do computador troca os dígitos? – Trocamos por um novo
o   O que fazer se o coração não bombear o sangue corretamente? – Fazemos um transplante
·        Devemos atender com perfeição aos deveres que nos foram conferidos.
·        Cada qual necessita conhecer as obrigações que lhe são próprias.
·        A grande questão é obedecer a Deus, amando-O, e servir ao próximo de boa vontade.
·        Toda criatura obedece a alguém ou a alguma coisa.
·        O homem obedece a toda hora.
·        Quase sempre transforma a obediência que o salva em escravidão que o condena.
·        Deus determinou que o homem Lhe aceitasse os desígnios para ser verdadeiramente livre.
·        A quem obedeces? Acaso, atendes, em primeiro lugar, às vaidades humanas ou à opiniões alheias antes de observares o conselho do Mestre Divino?
·        Quando atendermos aos ensinamentos vivos de Jesus, quebraremos a escravidão do mundo e seremos livres.
·        Bem aventurado é aquele que se deixa aperfeiçoar.
·        A obra do bem, quando realizada para todos, permanece eternamente.
·        Obedecer é colocarmo-nos na posição de colaboradores que fazem jus ao salário recebido.

Do Livro Agenda Cristã de André Luiz psicografado pelas mãos de Chico Xavier:
Imperativos Cristãos
Aprende – humildemente
Ensina – praticando
Administra – educando
Obedece – prestativo
Ama – edificando
Teme – a ti mesmo
Sofre – aproveitando
Fala – construindo
Ouve – sem malícia
Ajuda – elevando
Ampara – levantando
Passa – servindo
Ora – serenamente
Pede – com juízo
Espera – trabalhando
Crê – agindo
Confia – vigiando
Recebe – distribuindo
Atende – com gentileza
Coopera – sem apego
Socorre – melhorando
Examina – salvando
Esclarece – respeitoso
Semeia – sem aflição
Estuda – aperfeiçoando
Caminha – com todos
Avança – auxiliando
Age – no bem geral
Corrige – com bondade
Perdoa – sempre.

Fixação: contar a história “Rebeldia” do livro Alvorada Cristã, cap. 6, O aprendiz desapontado cap. 24, o barro desobediente cap. 29 e ou apontamento cap. 37.
Também pode contar a parábola de Jesus: “A parábola dos Dois filhos”.
Ou a do “O Grilo Perneta” de Roque Jacintho”.

Atividade: pode ser um jogo onde elas aprendem que se não obedecerem às regras do jogo, não dá pra participar;
Também se pode pedir às crianças que desenhem uma situação que traduza uma obediência que elas precisam cumprir.
Baseado no livro “O Grilo Perneta” dá pra levar o desenho do grilo pela metade, e as crianças deverão completar as partes faltantes, onde poderão desenhar ou não a perninha que ele perdeu.


sábado, 20 de outubro de 2018

Plano de Aula


PLANO DE AULA
CENTRO ESPÍRITA:
CICLO:
TEMA:
DATA:
ELABORADO POR:

1.      OBJETIVOS: a) Formativo: é o principal, o que queremos despertar, desenvolver nos evangelizandos tais sentimentos e/ou obter ou mudar tais comportamentos.
                                     b) Informativos: relativo a conhecimento. O que se pretende que os evangelizandos saibam no final da aula. Definir de uma maneira simples, breve e clara.

2.      INCENTIVO INICIAL: como fazer para atrair a atenção do evangelizando, muitas vezes dispersiva ou não interessada. Normalmente é rápido, só para entrar no conteúdo. Exemplo: caça-palavras, quebra-cabeça, mímica, cartazes, jogos, dramatização, perguntas que vão encaminhando para o tema, teatro de fantoches, música, questão provocativa, notícia de jornal, tempestade cerebral, objeto exposto ou escondido (escondendo o tema da aula), etc.

3.      DESENVOLVIMENTO: a) Estratégia: o que vamos usar para continuar mantendo a aula interessante, pode ser uma continuação do Incentivo Inicial. Aqui entra a criatividade. De que maneira a aula será dada? Aqui se define se a aula será estudo em grupo, palestra, diálogo, teatro, entrevistas, gincana, etc. Definem-se os passos principais da aula.
                                             b) Conteúdo: é a aula em si, a mensagem a ser levada, exatamente o objetivo informativo. Detalha-se a aula minuciosamente. O que se pretende fazer na sequência. O encadeamento da aula. Devem-se criar símbolos (*#@&§) para que ao consultarmos o conteúdo durante a aula, nos localizemos rapidamente, sem paradas que passariam insegurança aos evangelizandos.

4.       FIXAÇÃO: deve-se prestar muita atenção nos evangelizandos para verificar se a estratégia foi bem recebida. Por exemplo: numa história, às vezes, pensamos que está tudo bem. E os evangelizandos não entenderam nem a história, nem a mensagem. É preciso que eles dêem o retorno. Para fixar bem a mensagem, podemos usar um apelo forte, que fique gravado na mente: música, poesia, cartaz, objetos, etc.

5.      AVALIAÇÃO: meio que utilizaremos para verificar se o evangelizando captou o tema. Aqui verificaremos se os objetivos foram atingidos.

6.      ATIVIDADE: sempre se relacionando com a aula, para sedimentar bem. Por exemplo: dobradura, recorte, colagem, pintura a lápis, a pincel, a dedo, desenho livre ou pronto (não se deve dar com frequência desenhos prontos para não inibir a capacidade da criança), trabalhos manuais, jogos, música, dramatização, etc. Esta é a oportunidade do evangelizando se confraternizar com os outros, desenvolver suas potencialidades criadoras, expandir sua energia, muitas vezes a própria aula é uma Atividade, ou a Avaliação/Fixação e Atividade se confundem numa só.
Deve-se elogiar e respeitar os trabalhos dos evangelizandos, nunca impondo preferências, assim como estimular-lhes a fazerem sozinhos, com criatividade.
Estes três últimos itens podem estar misturados ou confundidos num só. Uma brincadeira com perguntas e respostas ou uma “feira de frases” podem ser Atividade, Avaliação e Fixação ao mesmo tempo. Ensinar uma música sobre o tema pode servir de Fixação, Avaliação e Atividade.

7.      MATERIAL DIDÁTICO: tudo o que for usado no Plano de Aula para não se esquecer de levar no dia.


FAÇA UMA AVALIAÇÃO DA AULA APÓS APLICÁ-LA. ALTERE O QUE FOR NECESSÁRIO E ARQUIVE-A PARA UTILIZÁ-LA EM OUTRAS OPORTUNIDADES, EM OUTROS ANOS.

BOM TRABALHO.