quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Pensamentos - Higiene - Sintonia Espiritual

Esta aula foi montada por um Evangelizador do 2º Ciclo - o nome dele é Jean Michel

================================================================

HIGIENE DOS PENSAMENTOS | SINTONIA ESPIRITUAL

QUADRO RESUMO

Atividade
Objetivo
Tempo de duração
Prece Inicial
Entrar em sintonia com espiritualidade superior
5’
Contação de História
Demonstrar a importância do pensamento em nosso dia a dia.

15’
Atividade de Fixação
Demonstrar de forma lúdica como os pensamentos influenciam.

20’
Dinâmica
Mostrar o poder dos bons pensamentos unidos!
20’
Prece final, harmonização e Magnetização da Água
Agradecer a Deus por mais uma oportunidade de estarmos reunidos e magnetizar a água.
10’


Tempo total: 1h10’














OBJETIVO: Ensinar à criança a importância e a força que tem nossos pensamentos! Que os pensamentos bons geram saúde, assim como os pensamentos ruins geram doenças. Procurar deixar claro que devemos vigiar o que estamos pensando. Bons pensamentos atraem bons Espíritos.

HISTÓRIA: O ALIMENTO ESPIRITUAL
Um dos professores encontrava-se com graves problemas na escola.
Os alunos liam jornais e revistas com reportagens violentas, depois passavam a imitar os aventureiros e malfeitores e quando viam a televisão, escolhiam programas horrorosos.
Em razão disso apresentavam, na escola e em casa, péssimo comportamento. Alguns pronunciavam palavrões, julgando-se modernizados, enquanto outros se entregavam a brincadeiras de mau gosto, acreditando que assim mostravam superioridade e inteligência. Nunca liam bons livros Zombavam dos bons conselhos.
O professor, em vista disso, certo dia reuniu todas as classes na hora do recreio e apresentou uma surpresa esquisita.
Os pratos estavam cheios de coisas impróprias: pães envolvidos em lama, doces com batata pobres, pedaços de maçãs com tomates estragados, bolachas emboloradas e geleias misturadas com terra.
Os meninos, revoltados, gritavam com o que viam. O velho educador pediu silêncio e tomando a palavra, disse-lhes:
- Classe! Vocês estão assustados e revoltados com o alimento para o corpo? Eu estou assustado e preocupado com o alimento sadio para a nossa alma. O pão garante a nossa energia física; maus livros e as notícias infelizes, as difamações e as aventuras criminosas, representam substâncias apodrecidas que nós absorvemos, envenenando a vida mental e prejudicando também as páginas escritas que cooperam na defesa de nossa harmonia interior, a fim de nunca fugirmos ao correto procedimento.
Com essas palavras o professor deu a hora do recreio e a merenda por encerradas.
Os alunos retiraram-se cabisbaixos e pensativos. E, pouco a pouco, o professor foi percebendo que a conduta de alguns alunos foi sendo modificada para melhor, começou a perceber um outro clima de interesse na leituras e programas que eram assistidos.
O professor deu-se por satisfeito.
Livro Pai Nosso - Meimei - F.C.Xavier

ATIVIDADE DE FIXAÇÃO 1 | NUVENS
Colar no quadro uma nuvem em uma cartolina preta, contendo palavras recortadas de jornais e revistas de nosso cotidiano, expressões que falamos a toda hora, gírias e frases que nos chamam atenção ou termos que expressem o nosso pensamento e cole na nuvem. Palavras que contribuem de maneira negativa para a ambiência perto de nós e nossa vibração.
O que ocupa nossos pensamentos?
Como pensamos, sentimos e agimos. Os pensamentos têm uma influência determinante sobre as emoções e o comportamento de uma pessoa.
Nossos pensamentos são uma poderosa força geradora de emoções e comportamentos que nos aproximam ou afastam de Deus, de nós mesmos e de nossos semelhantes. Com eles formamos o ambiente interno de nossa alma. Somos felizes e infelizes segundo nossos sentimentos.
Se pensar no bem, sentirá e agirá no bem, se pensar no mal, sentirá e agirá no mau, se pensar com caridade, vai sentir e agir com caridade.
Todos os valores morais (conjunto de sentimentos)  nosso, são resultados dos pensamentos que guardamos em nosso coração.
Estes valores formam nosso caráter. Se você é agressivo e desrespeitoso, guardas no coração sentimentos inferiores. Se calmo e compreensivo, guardas sentimentos nobres.
Podemos nos avaliar segundo nosso agir. Para nos corrigirmos é preciso nos conhecer. No L.E. dos Espíritos Kardec (q.919) perguntou como o homem pode melhorar a sim mesmo e resistir as tentações, responderem simplesmente os Espíritos elevados a Kardec, que era conhecendo a si mesmo.
A mudança interior começa na mudança dos pensamentos.
Os pensamentos são ondas que tem cor e som. Pensamentos bons, ondas coloridas, sons harmoniosos; pensamentos maus, ondas de cores feias, sons desagradáveis.
Bons pensamentos, bons sentimentos.
Pensamentos infelizes (negativos) atraem forças, ou, energias negativas e logo se segue em ações. Quando você pensa de uma forma, age segundo ela. E para manter o equilíbrio espiritual ou sentimental devemos evitar atitudes com consequências infelizes, vigiando constantemente o pensamento.
Vigiemos ao notarmos nossos pensamentos formando em nossa mente que será mais fácil consertá-los.
Se você percebe que seu pensamento está desvencilhando para o ódio, pensa no amor; se raiva ou vingança pensa no perdão; se impaciência, pensa na paciência e assim em diante. Fazendo esse exercício diário você perceberá os pensamentos negativos nascendo bem antes de sua formação e os modificarão.
Devemos cuidar para que nossos pensamentos, palavras e ações, não sejam contrários á lei divina.
A bíblia traz verdades importantes sobre o pensamento, há passagens que Jesus nos recomenda o pensamento sincero e reto.
O evangelho nos propicia um novo olhar espiritual para as coisas do mundo material. Por isso a importância das palavras de Jesus, que por meio de seus ensinos morais nos ensinava a sentir e pensar.
O evangelho de Jesus nos ensina a sentir e pensar, segundo as leis divinas.

“Tudo o que é verdadeiro,
tudo o que é respeitável,
tudo o que é justo,
tudo o que é puro,
tudo o que é amável,
tudo o que é de boa forma,
se alguma virtude há e se algum louvor existe,
seja tudo isso que ocupe vosso pensamento.”
EPÍSTOLA AOS FILIPINENSES 4:8, PAULO DE TARSO

Jesus Cristo tinha sobradas razões recomendando-nos o amor aos inimigos e a oração pelo que nos perseguem e nos caluniam. Não é isto mera virtude, no pensamento residem as causas de nossos sofrimentos e felicidade.
Sentimentos inferiores como raiva, inveja, etc., são sentimentos tóxicos. Doenças físicas surgem com origem neles.
* Falar sobre as causas e efeitos da produção do pensamento em nós e no ambiente do planeta.
Pensando, construímos nosso destino. O pensamento é força criadora e nossa felicidade poderá ser resultante deste exercício ao elaborar nossos desejos e nossos ideais.
A mente (pensamento)  é a base, a ação é a nossa construção.

NUVEM COLORIDA
O que podemos fazer para tomar as rédeas de nossas vidas e não nos deixarmos influenciar por pensamentos e ações que nos fazem mal e contribuem para uma energia pesada em nosso coração e planeta?
No que venho prestando atenção? Sobre o que converso com os meus amigos?
Adoramos um disse-me-disse, uma fofoca, saber algo ruim de outra pessoa, nos valorizando a medida que desvalorizamos o outro.
Conhecendo bem a nossa natureza, Jesus recomendou o "vigiar e orar" para que colocássemos um final neste ciclo vicioso.
Bons pensamentos são capazes de cobrir nuvens espessas e escuras... Leve pequenas nuvens coloridas recortadas e distribua para os evangelizando. Convide-os a refletir e escrever palavras e mensagens para que, todos juntos, possamos cobrir esta nuvem negra, não deixando que ela nos influencie com sua negatividade.
Peça que eles colem as nuvens coloridas com as mensagens sob a nuvem negra.

DINAMICA: PENSAMENTOS (Corrente do Bem)
Desenvolvimento: A dinâmica tem duas partes.
1ª parte - Distribuir 5 para cada aluno as tiras de papel e, antes que o lápis for dado a cada um, pedir que eles pensem algo de bom: uma lembrança, um gesto, um acontecimento da semana, uma frase dita por alguém, uma mensagem positiva, uma palavra. Depois desta pausa para reflexão, cada um escreva nas tiras de cores diferentes sentimentos bons que têm com as lembranças do acontecimento. E à medida que acabarem, fechar os elos formando uma corrente pequena.
Dar alternativas de formarem um colar ou pulseira, ou fazer uma corrente do bem com mensagens de crescimento e vibrações positivas para todos!
Nossos pensamentos e palavras ocupam todo o espaço em que estamos.
Atingimos aos que estão a nossa volta, mesmo que estes não queiram.

SE DER
2ª parte - Para que as crianças compreendam melhor, fazer uma roda e bolhas de sabão foram dadas a cada um. Todos devem soprar ao mesmo tempo para que a sala se encha de bolhas!
Dizer-lhes:
Assim acontece com o que pensamos...
Para chamar a atenção de como os pensamentos nos atingem, quando a sala estiver repleta de bolhas, pedir uma criança para passar no meio delas e, assim sairá cheio de marcas de bolhas das que estouraram ao contato, e, com algumas presas ao corpo!

HARMONIZAÇÃO FINAL / PRECE- Todos em círculo, de mãos dadas. Juntos vão abaixando as mãos lentamente, falando baixinho: “Pense no bem, faça o bem!”. Depois vão levantando as mãos e repetindo a frase anterior, cada vez mais forte.
Todos largam as mãos e sentam-se, ainda em círculo. Relaxar. Pedir que visualizem um jardim bonito como aquele da história, observem as cores e sintam o perfume das flores.


Para entregar aos pais:
"O pensamento é a nossa capacidade criativa em ação. Em qualquer tempo, é muito importante não nos esquecermos disso." Chico Xavier / André Luiz













sábado, 3 de setembro de 2016

Lei de Causa e Efeito - Lei de Ação e Reação

Lei de Ação e Reação – Causa e Efeito

Aula para Jardim

Objetivo: explicar às crianças o quanto estamos vinculados às Leis.

Incentivo Inicial:
Mostrar um remédio e perguntar:
·         Para que serve?
·         Quem toma remédio?
·         Por que tomamos remédio?
·         Por que ficamos doentes?
·         Quem já ficou doente?
·         Por que?
·         O remédio serve pra que?
·         É gostoso?
·         Alguém já tomou injeção?
·         E a pessoa que fuma, ficará doente?
·         E a pessoa que ingere álcool pela bebida, o que acontece?
·         E drogas como maconha, cocaína, crack e outras? O que fará em nosso corpo?
·         E as pessoas que praticam esportes perigosos e se machucarem, sofrerão alguma consequência?
Ou passar o vídeo sobre o que acontece com as pessoas que jogam o lixo nos rios...

Conteúdo:
ü  A Doutrina Espírita explica que tudo se encadeia no Universo. Nada acontece por acaso. Há em tudo uma sequência natural de causas e efeitos, de ação e reação. (Neste momento bater na mesa o toque “That is it”, e elas poderão perceber que estamos condicionados a ter uma reação);
ü  Jesus disse: “A cada um segundo suas obras...”;
ü  Conscientes do que somos e do que fazemos, somos naturalmente responsáveis pelos nossos atos;
ü  O Espírito pede para voltar à Terra, submetendo-se aos sofrimentos que infligiu aos seus semelhantes. Por exemplo, se matou, morrerá de alguma anomalia na parte do corpo que lesou no outro; se foi por arma de fogo, poderá morrer de bala perdida ou sofrer um ataque cardíaco.
ü  As Leis de Deus, inscritas na consciência de cada um, levam o culpado a pedir o seu próprio castigo e recuperação – depois do arrependimento, precisamos reparar.
ü  As provas coletivas reúnem pessoas que, compromissadas com seu passado menos feliz solicitam o reajuste em conjunto, para libertação de seus Espíritos – como já aconteceram inúmeras vezes. Temos o exemplo de um incêndio num circo no Espírito Santo, quando várias pessoas morreram queimadas, sendo que elas mataram diversos cristãos queimados na época de Jesus.
ü  A Lei de Causa e Efeito ou Ação e Reação, por outro lado, dá àqueles que se voltam para o bem e o amor, a colheita de bons frutos, como resultado lógico de seus esforços na Seara do Bem – uma pessoa feliz que tenha tudo o que precisa, pode estar recebendo os benefícios desta ou anterior encarnação;
ü  Cabe a nós, sempre e em qualquer circunstância, fazer o melhor – só assim nossa consciência ficará tranquila. Se praticarmos maldades, mais cedo ou mais tarde, isto nos fará mal;
ü  A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória. Se fizermos o bem, receberemos o bem; se se fizermos o mal, fatalmente receberemos o  mal. Porque não se colhem flores de espinhos.
ü  Pela Lei de Causa e Efeito cada criatura detém uma conta própria, com débitos e haveres contabilizados – só as conquistas espirituais;
ü  Somos responsáveis por todas as atitudes infelizes perante o nosso semelhante, assim como seremos credores por todo o bem que lhe dispensarmos – se formos maus filhos ou alunos, possivelmente teremos filhos rebeldes como nós ou piores.
ü  Jamais percamos a visão da meta superior a que nos destinamos e, com Jesus, empenhemo-nos no culto do Amor vivo, criando a felicidade pra com todas as criaturas, porque esta mesma felicidade retornará a nós mesmos, como consequência do nosso esforço cristão. Jesus deixou um código de ética moral, que seguida à risca, nos levará rapidamente à elevação espiritual.
ü  O verdadeiro Espírita se reconhece mais pelos atos que pelas palavras.
ü  O mérito do bem reside na dificuldade em praticá-lo; não há mérito nenhum em fazê-lo quando nada custa. Deus considera melhor aquele que reparte seu único pedaço de pão, que o rico que dá apenas do que lhe sobre.
ü  O homem sobre as consequências de seus atos em provas e expiação no plano material, e em sofrimentos morais no plano espiritual – portanto o sofrimento não está apenas no plano físico. Uma pessoa que se suicida fica muito tempo no plano espiritual, revendo o ato que o levou a praticar este crime.
ü  Quando se pratica alguma coisa errada, embora ninguém esteja vendo, ela fica inscrita na consciência onde está Deus. Por isso se fala que Deus tudo vê.

Fixação: contar a história “O descuido impensado”, do livro: Alvorada Cristã, cap. 14 usando as gravuras.
ü  Quem era Irmã Clara?
ü  O que fazia ela?
ü  Que aconteceu com ela quando ficou velhinha?
ü  O que o anjo falou pra ela quando ela chegou no mundo espiritual?
ü  Como Deus a perdoou?
ü  Em que lugar ela reencarnou?

Atividade:
Numa folha previamente preparada, as crianças deverão pintar o desenho de uma plantação de algodão. Fazer bolinhas de algodão e colar nas flores.



No orfanato em que trabalhava, Irmã Clara era o ídolo de toda gente pelas virtudes que lhe adornavam o caráter.
Era meiga, devotada, diligente.
Daquela boca educada não saíam más palavras.
Se alguém comentava falhas alheias, vinha solícita, aconselhando:
- Tenhamos compaixão...
Inclinava a conversa em favor da benevolência e da paz.
Insuflava em quantos a ouviam o bom ânimo e o amor ao dever.
Além do mais, estimulava, acima de tudo, em todos os circunstantes a boa-vontade de trabalhar e servir para o bem.
- Irmã Clara – dizia uma educadora -, tenho necessidade do vestido para o sábado próximo.
Ela, que era a costureira dedicada de todos, respondia, contente:
- Trabalharemos até mais tarde. A peça ficará pronta.
- Irmã – intervinha uma das criadas -, e o avental?
- Amanhã será entregue – dizia Clara, sorrindo.
Em todas as atividades, mostrava-se a desvelada criatura qual anjo de bondade e paciência.
Invariavelmente rodeada de novelos de linha, respirava entre as agulha e a máquina de costurar.
Nas horas da prece, demorava-se longamente contrita na oração.
Com a passagem do tempo, tornava-se cada vez mais respeitada. Seus pareceres eram procurados com interesse.
Transformara-se em admirável autoridade da vida cristã.
Em verdade, porém, fazia por merecer as considerações de que era cercada.
Amparava sem alarde.
Auxiliava sem preocupação de recompensa.
Sabia ser bondosa, sem humilhar a ninguém com demonstrações de superioridade.
Rolaram os anos, como sempre, e chegou o dia em que a morte a conduziu para a vida espiritual.
Na Terra, o corpo da inesquecível benfeitora foi rodeado de flores e bênçãos, homenagens e cânticos e sua alma subiu, gloriosamente, para o Céu.
Um anjo recebe-a, carinhoso e alegre, à entrada.
Cumprimentou-a. Reportou-se aos bens que ela espalhara, todavia, sob impressão de assombro, Irmã Clara ouviu-o informar:
- Lastimo não posso demorar-se conosco senão três semanas.
- Oh! por quê? – interrogou a valorosa missionária.
- Será compelida a voltar, tomando novo corpo de carne no mundo – esclareceu o mensageiro.
- Como assim?
O anjo fitou-a, bondoso, e respondeu:
- A Irmã foi extremamente virtuosa; entretanto, na posição espiritual em que se encontrava não poderia cometer tão grande descuido. Desperdiçou uma enormidade de fios de linha, impensadamente. Os novelos que perdeu, davam para costurar alguns milhares de vestidos para crianças desamparadas.
- Oh! Oh! Deus me perdoe! – exclamou a santa desencarnada – e como resgatarei a dívida?
O anjo abraçou-a, carinhoso, e reconfortou-a dizendo:
- Não tema. Todos nós a ajudaremos, mas a querida irmã recomeçará sua tarefa no mundo, plantando um algodoal.
XAVIER, Francisco Cândido. 
Alvorada Cristã. Pelo Espírito Néio Lúcio. FEB.
Gravuras da Apostila da FEB