sábado, 15 de setembro de 2018

Fé Raciocinada


Tema: FÉ RACIOCINADA
2º Ciclo
Data: 16.09.2018
Evangelizadoras: Marita 

OBJETIVO: Fazer com que as crianças compreendam a diferença da Fé cega e Fé raciocinada.

INCENTIVO INICIAL: pegar a jarra de água, fazer uma prece e oferecer um copo para cada criança, perguntando se acreditam que magnetizei a água, se acreditam que a água pode conter substâncias colocados pelos Espíritos através de minhas mãos para seu bem-estar. Fazer a prece inicial.


CONTEÚDO:
·         É muito importante ter fé, como também é importante ter confiança nas pessoas, especialmente naquelas com quem nos relacionamos.
·         A fé é incompatível com a dúvida.
·         Não é possível acreditarmos em algo e duvidar ao mesmo tempo. Podemos ter fé em uma pessoa, objeto/imagem, uma ideologia, uma corrente filosófica, um conjunto de regras, modelos ou dogmas de uma religião.
·         Há vários tipos de fé:
·         A mais comum é a fé natural.  Por exemplo: estamos dentro da Casa Espírita e em nenhum momento pensamos que o teto desabaria sobre nossas cabeças.
o   Perguntar às crianças: na fé natural tudo está em ordem?
o   Nem sempre está, por exemplo: olhe o adesivo colocado nos elevadores, em vários edifícios residenciais e comerciais, alertando sobre o número máximo de pessoas que podem ficar dentro. Esse adesivo começou a ser colocado depois de graves acidentes ocorridos devido ao excesso de peso.
o   De modo que a fé natural, inúmeras vezes, é passível de questionamentos e de incertezas.
·         Conveniente mencionar, desde logo, que a fé não se impõe. A fé necessita de uma base, que é a inteligência perfeita daquilo em que se deve crer. E, para crer, não basta ver; é preciso, sobretudo, compreender.
·         A fé cega produz o maior número dos incrédulos, porque ela pretende impor-se, exigindo a abdicação das mais preciosas prerrogativas do homem: o raciocínio e o livre-arbítrio. Aceita sem nada verificar, conduz ao fanatismo, pode desmoronar.
o   Um exemplo de Fé cega foi quando em 18 de novembro de 1979, 918 pessoas morreram em um misto de suicídio coletivo e assassinatos em Jonestown, uma comuna fundada por Jim Jones, pastor e fundador do Templo Popular, uma seita pentecostal cristã de orientação socialista. Embora algumas pessoas tenham sido mortas a tiros e facadas, a grande maioria pereceu ao beber, sob as ordens do pastor, veneno misturado a um ponche de frutas.
·         A fé raciocinada, por se apoiar nos fatos e na lógica, nenhuma obscuridade deixa. A criatura então crê, porque tem certeza, e ninguém tem certeza senão porque compreendeu. O Espiritismo nada impõe a quem quer que seja. Além disso, respeita, de maneira absoluta, o livre-arbítrio de cada um. E, como se sabe, livre-arbítrio é a liberdade para tomar decisões de acordo com seu próprio discernimento.
·         A Doutrina Espírita comprova que todos somos Espíritos, os que estamos agora encarnados na Terra e os que saíram do corpo pela desencarnação (retornando ao Mundo dos Espíritos – de onde proviemos e para onde regressaremos), mas não saíram da Vida. Comprova também que a Vida tem seu curso natural, ora no corpo físico, ora fora dele, razão pela qual somos imortais e indestrutíveis, isto é, viveremos para sempre.
·         Dinâmica: vendar os olhos de duas crianças. Colocá-las num canto. Em seguida colocar nas mãos de uma delas uma caixa de fósforos, e na mão de outra uma vela. Primeiro elas precisam adivinhar o que estão segurando e em seguida explicar que elas devem imaginar que estão num escuro total e colocam em sua mão uma caixa de fósforos e uma vela. O que fazer? Elas mesmas darão as respostas.
·         Explicar que acreditar que a vela iluminará o ambiente onde estão é um tipo de fé raciocinada.

·         Fé vacilante é quando uma pessoa não procura os meios para vencer porque não acredita, hesita, tem incerteza, sente sua fraqueza, usa de força bruta para suprir a força que lhe falece. Um exemplo é uma pessoa que está com câncer e não procura todos os meios médicos para se salvar.
·         Fé robusta: é calma, é paciente, usa de inteligência e compreensão das coisas, tem a certeza de chegar ao objetivo, é humilde, confia em Deus, é perseverante, energia e supera os obstáculos.
·         A fé faz parte do nosso crescimento espiritual, desenvolve-se lenta e progressivamente. É um trabalho desenvolvido e assimilado ao longo do tempo, é uma conquista intelectual.
·         A Fé Raciocinada que nos leva a evolução moral por meio da reforma íntima.
·         A fé é o resultado do nosso conhecimento interior. Quanto maior for a nossa identidade com a fé, mais forte aparecerá em nossas vidas a felicidade. Os Evangelhos têm asseverado: "Que tudo te seja feito segundo a tua fé" A fé é a realização do homem no espírito, no mundo da consciência, é o crer para ser. Devemos caminhar em direção da nossa fé.
·         A Fé é o elo que liga a criatura ao Criador. É o Combustível da vida que nos impulsiona para nossa Evolução. Ela é a bússola que norteia o rumo de nossa existência.

FIXAÇÃO: mostrar a gravura abaixo e questionar as crianças para o que ela representa em matéria de FÈ.


ATIVIDADE:
Passar o seguinte exercício para que eles respondam preenchendo as lacunas de maneira correta:
1 - Tenho fé nos meus ..................... e ando na paz e no bem de Deus.
2 - Tenho fé nas minhas ........................ e trabalho, estudo e faço esporte.
3 - Tenho fé nos meus .............................. e vejo as belezas do céu.
4 - Tenho fé nos meus ............................ e ouço a música da Natureza.
5 - O lavrador tem fé nas ......................................... e colhe milhares de grãos.
6 - Tenho fé no meu ....................... uso a minha inteligência e raciocínio para ter fé raciocinada.

Em seguida entregar cópias da atividade abaixo:

Prece final.

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

SINTONIAS - CAUSAS E PROCESSOS


Tema: SINTONIAS – CAUSAS E PROCESSOS

Para 2º Ciclo – 9-10 anos


OBJETIVO:
Reconhecer que a sintonia espiritual é a lei pela qual cada criatura atrai as companhias  espirituais segundo a natureza de seus pensamentos e sentimentos.


INCENTIVO INICIAL: Colocar as duas gravuras abaixo no quadro:

  

Dizer que o cheiro da flor e o cheiro do lixo vão atrair os insetos. Pedir a uma criança que coloque os insetos no flanelógrafo conforme são atraídos.

CONTEÚDO:
·         Cada ser é atraído para o lugar onde se sente bem.
·         As pessoas também atraem outras com quem se sentem bem porque estão em sintonia, isto é, semelhança de sentimentos. (dar exemplos)
o   Como vocês se sentem ao entrar numa casa suja?
o   Vocês iriam visitar pessoas numa penitenciária?
o   Como vocês imaginam que é lá?
o   Sua escola é limpa?
o   Se vocês precisassem ir ao banheiro e ele estivesse sujo e fedido? Seria bom?
o   Caso vocês entrassem num ambiente e todas as pessoas presentes olhassem com cara feia, como vocês se sentiriam? E se recebessem com um sorriso?
o   Vocês percebem o sentimento das pessoas pelo olhar?
·         Atraímos não só pessoas que vemos, mas também pessoas invisíveis, que já deixaram o corpo: os Espíritos.
·         As pessoas bondosas atraem Espíritos bondosos.
·         Quando uma pessoa pensa ou faz uma maldade atrai também Espíritos malvados ou atrasados, com quem se sintoniza.
·         Os Espíritos bons trazem paz. Eles nos inspiram bons pensamentos.
·         Quando atraímos Espíritos atrasados, que cultivam vícios ou maus sentimentos, sentimos perturbação e eles nos inspiram maus pensamentos, até crimes.
·         Sempre que oramos com fé e sentimentos elevados, atraímos Espíritos bondosos. Eles também podem conversar conosco enquanto dormimos.
·         A mente é um manancial vivo de energias criadoras e o pensamento é a substância que dará forma a tudo o que idealizarmos, o que gera sintonia.
·         No Evangelho de Jesus, Ele retira pela força de Sua palavra e de Seu pensamento, os espíritos obsessores de um homem, e diz para ele que eles voltarão se encontrarem sua casa mental aberta às más influências, que é preciso que ele mude suas atitudes.
·         Cabe a todos nós, nos esforçarmos pela nossa renovação mental para que nossa vida seja melhor, pois nossa existência será segundo o que cultivarmos no pensamento.
·         Para manter nosso equilíbrio espiritual devemos vigiar constantemente nosso pensamento, para que a sintonia com o bem seja sempre nossa bússola.
·         É necessário nos identificarmos com o pensamento do Mestre, em seu Evangelho de Luz, para que estejamos sintonizados com amigos espirituais que nos ajudem, no trabalho de renovação íntima, e em contrapartida, podermos estar em condições ade ajudarmos o próximo.



FIXAÇÃO: contar a história “O Espírito da Maldade” de Néio Lúcio do livro Alvorada Cristã, psicografia de Chico Xavier, usando as gravuras.

O espírito da maldade, que promove aflições para muita gente, vendo, em determinada manhã, um ninho de pássaros felizes, projetou destruir a s pobres aves.
A mãezinha alada, muito contente, acariciava os filhotinhos, enquanto o papai voava, á procura de alimento.
O espírito da maldade notou aquela imensa alegria e exasperou-se. Mataria todos os passarinhos, pensou consigo. Para isto, no entanto, necessitava de alguém que o auxiliasse. Aquela ação exigia mãos humanas. Quem sabe algum menino poderia obedecer-lhe?
Começou, então, a buscar a companhia das crianças.
Foi à casa de Joãozinho, filho de dona Laura, mas Joãozinho estava muito ocupado na assistência ao irmão menor, e, como o espírito da maldade somente pode arruinar as pessoas insinuando-se pelo pensamento, não encontrou meios de dominar a cabeça de João.
Correu à residência de Zelinha, filha de dona Carlota. Encontrou a menina trabalhando, muito atenciosa, numa blusa de tricô, sob a orientação materna, e, em vista de achar-se o cérebro tão cheio das ideias de agulha, fios de lã e peça por acabar, não conseguiu transmitir-lhe o propósito infeliz.
Dirigiu-se então, à chácara do senhor Vitalino, a observar se o Quincas, filho dele, estava em condições de servi-lhe. Mas Quincas, nesta hora, mantinha-se, obediente, sob as ordens do papai, plantando várias mudas de laranjeiras e tão alegre se encontrava, a meditar na bondade da chuva e nas laranjas do futuro, que nem de leve percebeu as ideias venenosas que o espírito da maldade lhe soprava na cabeça.
Reconhecendo a impossibilidade de absorvê-lo, o gênio do mal se lembrou de marquinhos, o filho de dona Conceição. Marquinhos era muito mimado por sua mãe antes de desencarnar, que não o deixava trabalhar e lhe protegia a vadiagem. Tinha doze anos bem feitos e vivia de casa em casa a reinar na preguiça. O espírito da maldade procurou-o encontrando-o assentado à porta de um botequim. As mãos dele estavam desocupadas e a cabeça vaga.
“Vamos matar passarinhos”? Disse o espírito aos ouvidos do preguiçoso. Marquinhos não escutou em forma de voz, mas ouviu em forma de ideia.
Saiu, de repente, com um desejo incontrolável de encontrar avezinhas para a matança.
O espírito da maldade, sem que ele o percebesse, conduzia-a facilmente para a árvore onde havia o ninho.
A mãe de Marquinhos havia desencarnado há alguns anos, agora arrependida de não ter ensinado o filho o valor do trabalho desde cedo, estava muito preocupada com ele.
Enquanto observava o filho dona Conceição viu a mãe de Quincas que estava por perto e intuiu a amiga a chamar o Marquinhos para brincar com Quincas em sua casa.
Quando chegaram, vira Quincas trabalhando no pomar.
Marquinhos ficou brincando de plantar as laranjeiras. Gostou tanto que esqueceu as maldades e passou a ser um menino bom e aplicado. Junto com Quincas viu que é muito agradável a ser útil e não mais maltratar os animaizinhos que também são filhos de Deus.
Ele aprendeu isso com o amigo Quincas que sempre seguia os conselhos do pai e da mãe que eram guiados por espíritos superiores que estão sempre no trabalho de ensinar aos homens o amor que Jesus veio exemplificar aqui na terra.
          







ATIVIDADE: entregar dois cartões a cada criança, um claro e outro escuro, esclarecendo que o primeiro vai representar os bons sentimentos e o segundo, os maus.
As crianças deverão escrever nos cartões os sentimentos e atitudes que nos fazem ter boas sintonias e más sintonias.
Concluir que a oração sincera, os bons pensamentos, a compreensão e bondade, ainda que de uma só pessoa de uma família, atraem a ajuda de Espíritos bondosos que tudo fazem para ajudar a diminuir as consequências do mal.
Cantar a música: “Anjos”
Anjos   Grupo Acorde

Qual de nós não tem nenhum defeito?
Qual de nós não tem uma virtude?
Precisamos só achar um jeito
De suavizar o lado rude

Vamos ajudar-nos mutuamente
E somar as nossas qualidades
Pra fazer um mundo diferente
E tirar a força da maldade

Um dia todos nós seremos anjos
Vamos trabalhar e acreditar
E no futuro nós seremos anjos
No planeta onde o amor,
Unicamente o amor há de reinar
E assim será
  
A felicidade só começa
Quando cessam as desigualdades
Quando todos compartilham sonhos
E não usam mal a liberdade

O Mestre falou: - Sede perfeitos
E nos ensinou esta lição
Que somente o amor será eterno
Nele está a nossa salvação

Um dia todos nós seremos anjos
Vamos trabalhar e acreditar
E no futuro nós seremos anjos
No planeta onde o amor,
Unicamente o amor há de reinar

Um dia todos nós seremos anjos
Vamos trabalhar e acreditar
E no futuro nós seremos anjos
No planeta onde o amor,
Unicamente o amor há de reinar


PRECE FINAL