quarta-feira, 10 de abril de 2013

Origem e natureza dos Espíritos - 2º Ciclo


Origem e natureza dos Espíritos

2º Ciclo

Incentivo Inicial: Mostrar uma foto ou gravura de um prédio.

                                   Perguntar:
Quem pensou em fazer o prédio?
                                   Quem fez o prédio?
Quando começaram a fazer o prédio?
Quantos anos o prédio tem?

Conteúdo:

  • Assim como não sabemos nada sobre o prédio, também não sabemos sobre a criação dos Espíritos.
  • Fomos informados pelos Espíritos da Codificação que os Espíritos são os seres inteligentes da criação.
  • Povoam o Universo, fora do mundo material. Vemos os planetas e as estrelas no Universo, mas não podemos ver os mundos Espirituais
  • São obras de Deus, exatamente como a máquina fabricada pelo homem.
  • A máquina é obra do homem, não é o próprio homem.
  • Quando o homem faz alguma coisa diz: “Minha obra”.
  • Somos obras de Deus.
  • Os Espíritos tiveram um princípio, senão seriam iguais a Deus.
  • Deus cria os Espíritos simples e ignorantes. E aos poucos eles vão evoluindo, como uma criança quando nasce. Mostrar a gravura de uma criança.
  • Deus existe desde toda a eternidade.
  • Quando Deus nos fez e o modo como nos criou, nada sabemos. Olhando a criança, lembremos de alguma coisa do tempo em que fomos crianças. Nada.
  • Deus no criou para a eternidade. Somos imortais. Nosso Espírito vai evoluir e nunca morrerá.
  • Os Espíritos são formados do elemento inteligente, assim como a matéria do elemento material.
  • Deus cria os Espíritos todo o tempo. Jamais deixou de criar.
  • Jesus disse: “Meu Pai trabalha.....”
  • Os Espíritos são criados por Deus, ninguém sabe como. Não é como com as crianças que nascem no ventre da mãe. As crianças que nascem já vêm com seus respectivos Espíritos.
  • Os Espíritos são incorpóreos. Encarnam para evoluir.
  • Os Espíritos constituem o mundo dos Espíritos ou das inteligências incorpóreas, preexiste e sobrevive a tudo.
  • Os Espíritos estão por toda a parte.
  • Povoam infinitamente os espaços infinitos.
  • Porém os Espíritos menos adiantados não podem ir a toda parte.
  • É desconhecida a forma dos Espíritos. Podemos comparar a uma chama, um clarão.
  • E sua cor é de acordo com sua evolução espiritual, começando pelas cores escuras, evoluindo para cores brilhantes.
  • Os Espíritos percorrem o espaço com a rapidez do pensamento.
  • Quando o pensamento está em alguma parte, a alma também aí está, pois que é a alma quem pensa.
  • A distância percorrida só é percebida pelos Espíritos inferiores.
  • O Espírito não se divide, mas pode irradiar para diversos lados, como o Sol.
  • Esta irradiação depende do grau de elevação do Espírito.
  • Somos herdeiros da eternidade e por isso devemos trabalhar sempre para o nosso aprimoramento físico e espiritual, valorizando as nossas inúmeras encarnações.

Fixação: mostrar um desenho do Pinóquio.
ü  Lembra-se da história do Pinóquio?
ü  O boneco representava a matéria.
ü  A Fada que deu vida ao boneco representava Deus.
ü  O grilo falante representava a consciência.
ü  Assim acontece conosco. Seríamos apenas “bonecos de madeira” se Deus não colocasse nele um Espírito.

Atividade: Completar a cruzadinha e relembrar alguns aspectos relacionados ao Espírito:

a)      Os Espíritos são filhos de ____________.
b)      Os Espíritos podem ________________ a matéria.
c)      A criação dos Espíritos nunca _________.
d)     Os Espíritos povoam fora do mundo ____________.
e)      Os Espíritos não têm forma, parecem uma chama, um _________.
f)       Deus jamais parou de __________.
g)      Os Espíritos são os seres ____________________ da criação.
h)      Os Espíritos viajam pelo _______________________.


a









D
E
U
S







b




A
T
R
A
V
E
S
S
A
R






c










P
A
R
A






d





M
A
T
E
R
I
A
L







e







C
L
A
R
A
O







f








C
R
I
A
R







g








I
N
T
E
L
I
G
E
N
T
E
S
h

P
E
N
S
A
M
E
N
T
O
























a










E









b










S









c










P









d










I









e










R









f










I









g










T









h










O












a










E









b










S









c










P









d










I









e










R









f










I









g










T









h










O












a










E









b










S









c










P









d










I









e










R









f










I









g










T









h










O












a










E









b










S









c










P









d










I









e










R









f










I









g










T









h










O










Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário